Primeiras Impressões: i tell c

i tell c manga shonen jump

Finalmente a volta de um mangá de mistério e investigação nas páginas da Shonen Jump!! Será que deu certo…?

Mistério, um dos meus gêneros favoritos de histórias em geral. Quando soube que a Jump iria serializar uma obra de mistério, fiquei extremamente feliz. A ideia de um mangá em que a protagonista se apaixonava pelos criminosos e resolvia os casos me intrigava bastante. Não imaginava como essa dinâmica iria funcionar numa revista como a Shonen Jump. Mas confiei, tendo em vista que fora um título escolhido entre milhares pra ter sua serialização na maior revista de quadrinhos do mundo.

WSJ_Issue_2021_09_Cover

Combata o veneno com veneno! Aioi Risa é uma detetive com uma predileção incomum. Suas técnicas de investigação beiram ao crime, levando criminosos a se entregarem! Ultra irregular! Uma abordagem única do gênero de crime e suspense!

Que decepção.

i tell c

i tell c foi pretensioso demais. Quero deixar claro que eu não tenho nada contra uma história ser pretenciosa. Acho que tem mais é que tentar ser. Porém, o caso de i tell c é simples de entender. O mangá falhou miseravelmente na execução. Ele tenta ser sério, dramático e emocionante, mas consegue ser exatamente o oposto. Toda e qualquer história de mistério e investigação realista precisa desses três pontos e precisa também de ótimos personagens. i tell c não convence, não envolve, não emociona, não possui personagens carismáticos, não é interessante. Todos os casos começam e acabam de qualquer jeito, muito rushados. Os personagens não tem apelo algum, são ultra genéricos e sem graça, é impossível se envolver emocionalmente ou se identificar com eles. A motivação pessoal de cada um deles não nos cativa. De fato, a melhor personagem é a Aioi, protagonista. Ela é diferente e, por raras vezes, interessante. Mas de resto… Cruzes! A dupla de irmãos policiais que são também protagonistas da história… Talvez eu nunca tenha visto protagonistas mais mortos em todos os sentidos como eles. Sem vida, sem carisma, genéricos ao extremo etc. Como é que aprovaram personagens desses na Jump? O editor desse mangá tava mesmo a fim de trabalhar? É um negócio assustador.

Screenshot_1

A ideia, por mais interessante e cheia de potencial que possa ser, falha em todos os sentidos na sua execução. O andamento e a conclusão das investigações são tosquíssimas, sem envolvimento algum, totalmente previsíveis e que parecem nos chamar de burros durante a leitura. É um mangá muito mal escrito. Pra terem ideia, tem gente levando tiro na cabeça, NA CA-BE-ÇA, e depois aparecendo do nada, forte e correndo pela floresta… Daí um outro personagem leva um tiro na barriga e morre em dois segundos. Tudo isso numa história tentando ser séria e realista, mesmo com a licença poética de ser um mangá shounen.

Screenshot_2

Apesar de toda essa desgraça, sendo uma história de mistério e investigação, podemos pensar que bastaria um caso interessante que já ajudaria a deixar o mangá mais crível e bem melhor, mas nem isso o autor conseguiu. Todos os casos foram uma tristeza. A Aioi se apaixonar do nada pelos criminosos e a justificativa para isso é algo fraquíssimo de argumento. Não pegou ninguém que lia. Não bastasse isso, o autor decide mudar drasticamente a história, devido aos péssimos ranqueamentos nas ToCs semanais da Jump com os leitores achando o andamento da trama horroroso. Ele decide matar um dos protagonistas. E como já era previsto, o arco da morte dele foi horrível. A morte dele foi muito besta. O personagem próximo a ele simplesmente CAGOU pra situação (assim como eu), nem lembro se ele chorou! Meu Deus, que coisa lamentável. E depois de tudo isso: Fim do prólogo de i tell c!! O autor me mete essa.

Screenshot_3

Tudo bem. Beleza. Afinal, ele está tentando sobreviver na revista. Se mudar pra melhor, ótimo!

Daí vem o capítulo seguinte, o mangá claramente tira por completo o tema de seriedade e deixa de tentar ser sério. O título começa a virar uma comédia. Sim, i tell c vira um gag mangá. E não para por aí. Esse mesmo capítulo diz que agora, sim, o prólogo havia terminado e… pimba! Timeskip!! Que loucura, hahaha.

Depois de tudo isso, o mangá foi parar nos trend topics do Twitter japa, inclusive.

Screenshot_4

Eu confesso. Gostei de i tell c tentar virar um gag mangá. Aliás, acho que combina perfeitamente com ele. Um mangá que se levava a sério sendo ultra tosco seria, na verdade, perfeito caso se levasse na comédia! E pelas poucas piadas e situações cômicas que o autor botou nos dois capítulos mais recentes, eu gostei! Nem acredito que ia chegar a ponto de gostar, haha. Humor é algo muito pessoal, por isso não posso afirmar que será algo do gosto de todos, mas eu curti. É um humor sutil, mas sério. Por exemplo, a Aioi prende um assaltante de banco e o cara tem um moicano. Em uma das cenas, podemos ver que o moicano dele vai até o teto da sala da prisão, com a Aioi dizendo pra si mesma que estava surpresa que todo aquele cabelo tinha entrado na máscara de assaltante.

Sobre a arte, temos momentos muito bem desenhados e outros meio genéricos, o que é natural de uma publicação semanal. O autor desenha muito bem, isso foi possível perceber. Ele sabe usar muito bem sombreamentos pra dar mais impacto para as cenas.

Screenshot_5

Os últimos dois capítulos deixaram meio de lado um dos protagonistas, o que eu achei ótimo. Agora ele parece mais apenas um ajudante. Eu não estou falando nomes além da Aioi porque envolve spoilers de morte de um personagem, não quero estragar a experiência INCRÍVEL de vocês, caso decidam ler aqueles momentos emocionantes, que até me fizeram alagar minha casa de choro. A relação da Aioi com esse outro protagonista tem potencial de se tornar algo interessante no decorrer da história, espero que o autor explore isso. Caso i tell c ainda tenha tempo de vida. Como ele continuou com a pegada gag, acredito que deve ter tido uma reposta positiva dos leitores da Jump que votam nos capítulos dos mangás toda semana. Tô curioso pra ver o desempenho da obra nas votações.

Screenshot_6

Não faço ideia do que esperar depois desse timeskip. É tudo muito imprevisível nesse mangá. Será que ele trará de volta à tona o criminoso que fez a Aioi virar detetive? O único criminoso que ela não se apaixona e que, na verdade, odeia a ponto de querer matá-lo. Espero que o autor melhore esse passado dos dois pra justificar as motivações dela. Ou, sendo bem sincero, que nem toque mais nisso e traga mais casos pra eles solucionarem com essa pegada de comédia. Eu acho que esse estilo gag encaixa bem com a personalidade excêntrica da Aioi e com a personalidade ultra genérica e sem vida do protagonista que restou. O outro personagem que surgiu nesses últimos capítulos foi o chefe de polícia, que também chama a Aioi por filha. Achei ele meio bunda, mas até que divertido quando faz piadas com os outros figurões que são mais sérios. Meio que me lembrou um pouco do Komui, de D.Gray-man. A diferença é que o Komui é sensacional.

Screenshot_7

Eu achei o capítulo #1 interessante. Acho que se o mangá focasse nos criminosos tentando se livrar da Aioi, seria algo MUITO mais bacana de se acompanhar. Muito mais mesmo. Mas infelizmente o autor decidiu optar por outro caminho, com a Aioi e detetives genéricos como centro da história e os criminosos meros NPCs sem apelo algum.

i tell c é escrito pelo novato autor Inaoka Kazusa, que antes havia publicado o mangá de futebol Kimi wo Shinryakuseyo! na Shonen Jump, tendo sido cancelado em 2018 com apenas 3 volumes encadernados. Também publicou uma minissérie, de sete capítulos, chamada de Bunkiten, em 2020, na revista online da Shonen Jump.

image0

Apesar dos pesares, é sempre legal ver a revista dar lugar a histórias diferentes, além de ver autores novatos tentando algo fora da mesmice que estamos acostumados. Nem sempre vai dar certo, mas a tentativa é válida. Se servir de experiência para que o autor volte com uma escrita melhor, já terá valido à pena, com certeza. i tell c corre sérios riscos de ser cancelada na próxima rodada de estreias e cancelamentos da Jump. Veremos como se sairá após o timeskip e com essa pegada de gag mangá. Eu achei que combinou e até gostei quando li. Reconheço que humor é algo bem pessoal, mas geralmente funciona na Shonen Jump. Já houveram casos assim e até mesmo casos ao contrário, com gag mangá virando battle shounen, como o próprio Reborn!, por exemplo

Jamais vou torcer contra quem dá duro na luta pelos seus sonhos. Espero muito que o Inaoka-sensei consiga melhorar i tell c e fazer o título sobreviver na Shonen Jump. Caso não consiga, que volte melhor na sua próxima tentativa, seja na Jump, seja em outra revista qualquer.

Só queria deixar registrado aqui o quão agoniante é escrever o nome desse mangá com as letras todas minúsculas!

Screenshot_8

Nota: 5,5/10

Onde Encontrar: MANGA Plus (app/site oficial da Shueisha e de graça!)

Últimas análises:

–> Oshi no Ko <–

–> Setsuna Graffiti <–

–> Soft Metal Vampire <–

–> Build King <–

–> Phantom Seer <–

–> Psyren <–

–> Ao no Hako/Blue Box <–

facebook_gekkou_gear!!

Curta nossa página no Facebook!

twitter_gekkou_gear!!

Siga-nos no Twitter!

Feed_gekkou_gear

Assine o nosso Feed!

Ask_gekkou_gear

Nos acompanhe no Ask!

To_LOVE

Recruta-se!

hayate2co8pw9

Att, Gekkou Hayate

3 comentários em “Primeiras Impressões: i tell c

  1. Pingback: Primeiras Impressões: Candy Flurry / Ame no Furu | Gekkou Gear

  2. Pingback: Comentários Semanais: Mangás Shonen Jump Issue #20 | Gekkou Gear

  3. Pingback: Primeiras Impressões: Amagami-san Chi no Enmusubi | Gekkou Gear

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s