Review – Os capirotos fofinhos de Konjiki no Gash

01“Se houvesse um rei bondoso, então talvez não precisássemos dessa batalha dolorosa.”

Olá, pessoas, aqui é o Eru-Marks trazendo mais um review de um mangá extremamente bom que poucas pessoas falam dele, apesar que hoje temos um mangá até famoso, porém que sofre um pouco de preconceito por motivos aleatórios. Falemos de Konjiki no Gash, mais conhecido como Zatch Bell.02

Criado por Makoto Raiku, Konjiki no Gash é um mangá publicado em 2001 na Weekly Shonen Sunday, da editora Shogakukan. O mangá foi finalizado no final de 2007 com 33 volumes lançados de um shonen de porrada e comédia da mais alta qualidade.

Em 2004, o título recebeu uma adaptação para anime da Toei Animation de 150 episódios que chegou a ser exibida aqui no Brasil com uma censura sensacional que deixava qualquer arma de fogo que aparecesse no anime fosse radioativa.

025O mangá conta a história de Takamine Kiyomaro, um jovem extremamente inteligente que não tinha amigos porque ele simplesmente não via o porquê ter um. Um dia, seu pai lhe envia um garoto chamado Gash Bell para Kiyomaro cuidar e para Gash transformar Kiyomaro num garoto melhor. Mais tarde, descobrimos que Gash, na verdade, é um demônio que foi enviado ao nosso mundo para formar uma dupla com um humano e batalhar com outros 99 demônios pelo título de Rei dos Demônios. Gash, após uma série de acontecimentos decide se tornar mais forte e batalhar para tornar-se um rei bondoso para com os demônios e para que batalhas cruéis como as que estavam acontecendo nunca mais se repetissem.

Bem, comecemos com a clássica pergunta: por que falarmos de Gash? Bem, porque é um dos melhores shonens de pancadaria lançados na ultima década e eu como um apreciador da nobre arte dos quadrinhos nipônicos de botarem crianças com poder o suficiente para acabar com o mundo para brigarem, aprecio muito a gigantesca, porém genial, bobagem que é Konjiki no Gash.

Um dos motivos para eu gostar tanto desse mangá é que, apesar de ele ser predominantemente de pancadaria e violência, Konjiki no Gash é extremamente engraçado. O humor da série é sensacional. É um dos poucos shonens que os capítulos de dias normais, como os que o Kiyomaro vai à escola, por exemplo, são do mesmo nível dos que a dupla principal está confrontando algum personagem extremamente forte. Acho praticamente impossível alguém ler Gash e achar completamente sem graça.

19_092-093Com certeza a comédia é um dos grandes pontos fortes do mangá junto com o carisma absurdo dos inúmeros personagens que a série tem (tem 100 demônios por aí, né? Tem que mostrar bastante demônios nessa série, né?) e com o altíssimo nível de qualidade de pancadaria que o título tem.144

Falando na parte da porrada, Gash não deixa a desejar, eu acabei não falando na sinopse, mas junto com os demônios vem um livro que só pode ser lido por uma única pessoa que passa a ser a dupla com o demônio, esse livro, quando lido certa parte, um poder do demônio se manifesta e aqui temos batalhas bem criadas em duplas. E não é como se fosse pokémon e afins, aqui o parceiro do demônio participa mesmo da batalha, sendo muitas vezes o alvo dos ataques, criando assim um modo de batalha bem diversificado não só nos poderes dos demônios, mas também levando em conta o parceiro sem poderes e o que ele pode influenciar nas lutas.

E como já citei, o outro grande ponto forte do mangá são os personagens aqui, não importando se eles são exclusivamente do núcleo dos dias normais do Kiyomaro ou se só aparecem para lutar, eles são sempre sensacionais e de um carisma absurdo. Tem personagem que é um dos meus favoritos e que é muito bom e aparece duas vezes no mangá inteiro. E são muitos personagens nessa série mesmo, principalmente no lado da comédia, onde temos personagens que não se envolvem com a trama mais séria do mangá, mas que ainda assim têm participações muito boas, como a esposa do professor (que é uma personagem genial) e por muito tempo o Ponygon, que era só um 17_155mini-demônio-cavalo extremamente engraçado.

E Konjiki no Gash também trabalha muito bem os personagens que estão mais envolvidos na enredo, principalmente os demônios na busca de se tronarem rei que acabam tendo ótimos desenvolvimentos, como por exemplo, o cômico Kyanchome que começa como um fracote egoísta que buscava ser forte e termina quase que um personagem completamente diferente e nós observamos isso claramente com o decorrer da obra e com vários personagens acontece o mesmo.

E ainda, não só os personagens individualmente são muito bons, as interações deles com os outros são simplesmente sensacionais, desde o Gash e suas amizades bem infantis com os outros demônios até a relação de plena confiança que as duplas tinham um com o outro, tudo é muito bem feito nesse mangá. Até por essas interações que é bem emocionante qualquer cena de despedida de um personagem mais importante, se bem que Konjiki no Gash é um mangá emocionante como um todo, claro, você não vai chorar em nenhuma cena do mangá, mas ainda assim o drama funciona bem na história, apesar de que é bem exagerado, mas se funciona, tá bom assim.

Já em termos de arte, Gash não é um primor, ainda mais em seu início. Mas sua arte simpática funciona muito bem para comédia e não é nenhum pouco confusa na hora das lutas. Ainda tem o fato de que o traço do autor é daqueles que você reconhece só de olhar por fugir bastante de ser um traço genérico que se tem aos montes e como deixei claro em inúmeros reviews aqui, eu valorizo isso bastante.129

Bem, é isso pessoal. Konjiki no Gash é um dos meus mangás favoritos por ser de excelência em tudo que tenta fazer. O fato de ele ser extremamente zoado e a arte bem diferente e até por ser um mangá infantil podem afastar as pessoas, mas público alvo não define qualidade e qualidade não falta nesse mangá. Leiam Konjiki no Gash!!

facebook_gekkou_gear!!

Curta nossa página no Facebook!

twitter_gekkou_gear!!

Siga-nos no Twitter!

Feed_gekkou_gear

Assine o nosso Feed!

Ask_gekkou_gear

Nos acompanhe no Ask!

Por, Eru-Marks

13 comentários em “Review – Os capirotos fofinhos de Konjiki no Gash

  1. HUHU! Muito bom o review! Concordo plenamente com tudo. Embora eu ainda não tenha lido o mangá, apenas visto o anime, eu acho essa obra simplesmente genial. E as músicas e as dancinhas devem ser bem mais engraçadas no anime mesmo kkk. Será q vc poderia me dizer o cap do manga q o anime termina? Dizem q tem bastante coisa ainda e o Gash consegue vários poderes novos..

    Curtir

  2. Review simples mas esclarecedora, acho que o preconceito com Gash Bell primeiramente vem pela infantilidade que o anime deve ter passado (não vi todo), que me parece ser diferente no mangá, ou “já assisti o anime quando era moleque”, ainda não tive oportunidade de ler o mangá, ele está em ótima qualidade em português, com certeza lerei algum dia.. uma obra do autor que eu leio no momento é “Doubutsu no Kuni”, é uma obra que tem um tema muito infantil por primeira impressão, mas surpreende bastante já no seu primeiro volume, tem um traço magnifico, e me emocionou em um certo capítulo, acredito que terei a mesma sensação ao ler Gash Bell.

    Recentemente um amigo me mandou um vídeo de uma dança de alguns personagens, a música era tipo “ichi, oppai”, algo assim x.x, eu ri muito xD

    Curtir

    • Doubutsu no Kuni é uma outra obra que o autor fez muito bem. Ainda estou no começo (na verdade, se levarmos em conta que a série acabou com 14 volumes, 4 volumes não é bem começo), mas já vejo bastante potencial para ser uma obra boa como Gash num todo.

      Mas de impressão até agora, acho Gash bem mais divertido que Doubutsu no Kuni, mas vejo que Doubutsu no Kuni pode ficar bem mais interessante com o desenrolar do enredo. São com certeza dois mangás que valem a pena serem lidos.

      Curtir

  3. Acontece com Gash a mesma coisa q acontece com Digimon: ñ sei de onde o pessoal tira q esse animes/mangás são infantis. Pelo menos pra mim não são. Se fosse assim, One Piece tbm seria mangá pra criancinha. Espero q um dia alguma editora traga esse maravilhoso mangá para nós e q a Toei retome o anime.

    Curtir

    • Cara, bem… Digimon, Gash e One Piece são claramente direcionados para crianças, mas isso não significa muita coisa de qualquer jeito. Obras para crianças podem ser bem escritas, agradar outros publicos e muitas outras coisas. Ser direcionado para um publico mais infantil não quer dizer nada.

      Meu problema é com a pessoa que acha que se algo é feito com esse direcionamento, automaticamente é ruim e idiota, o que não é verdade. Há inúmeras obras geniais por aí que são feitas para crianças gostarem como o próprio One Piece.

      Curtir

  4. Muitos anos depois de ver na Globo eu resolvi assistir Gash novamente. A historia e muito boa e tem personagens mt marcantes.
    Para quem assistiu o anime e quer acompanhar o manga sugiro que acompanhe a Saga do Faudo desde o começo pois, apesar do começo ser igual ao do anime no meio ele muda completamente e sem ligação nenhuma com a serie. Sugiro começar pelo Cap. 164 para entender bem oq acontece, mas se lembrarem bem do anime podem começar mais a frente.

    Curtir

  5. nao tem como nao se emociona lendo esse manga recomendo muito msm pra min é msm nivel de one piece em termo de emociona, gash quando sabe que é um demonio e kyo fala que msm assim é amigo dele é foda.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s