Por que os protagonistas se sentam próximos à janela?

“A aula tá tão chata assim?”

Já reparou na quantidade imensurável de personagens que se sentam ao lado da janela, na sala de aula, e ficam observando o mundo lá fora? Bom, provavelmente você já fez isso pelo menos uma única vez na vida durante aquela aula chata de (insira aqui a matéria ou assunto que não gosta, embora a chatice possa advir da maneira como o professor ensina). E por que olhar pela janela? Simples: liberdade.

O protagonista de uma história não tem o perfil de se manter sempre quieto dentro de um ambiente monótono. Chega o momento em que isso pode deixá-lo taciturno, sem motivação alguma. Quando um estudante olha o mundo através da janela, relegando todo o conteúdo de uma aula, ele almeja uma experiência diferente, uma grande aventura. Motivo? Ele não consegue encontrar a si mesmo no ambiente em que se encontra, sente que a mudança necessária para sua vida não ocorrerá enquanto ele não se jogar numa aventura que, com certeza, está muito além das paredes de sua sala de aula.

Outro motivo é simplesmente o personagem ter muita coisa na cabeça, e por isso quer roubar o tempo de aula para matutar sobre alguns assuntos (para isso existe a escolha de matar aula, mas ok). Talvez ele esteja ponderando as opções sobre algum problema para então executar a solução na hora certa. Seja qual for o motivo, o fato de um personagem olhar pela janela significa que ele está sendo atraído, mesmo que inconscientemente, para algum tipo de aventura.

Há também a possibilidade do personagem ser um tipo antissocial, sem motivação para interagir espontaneamente com as outras pessoas ou desmotivado qualquer coisa que seja, ficando apenas refletindo ou não pensando em nada. Shinji Ikari, de Evangelion, se enquadra nesse tipo.

Vocês conhecem a teoria da Jornada do Heroi? Explicando à grosso modo, é um modelo narrativo seguido por quase todas as histórias inventadas, constituído de 12 etapas a serem seguidas pelo heroi. Ou seja, muitas histórias apresentam um desenvolvimento semelhante graças a Jornada do Heroi, e mesmo quando não é explícita, a trama acaba apresentando algumas dessas etapas. As primeiras etapas da Jornada são “mundo comum” e “chamado à aventura”.

 Vejamos o exemplo de Death Note. Light Yagami é um brilhante estudante que se incomoda com criminosos. Esse é o “mundo comum” do personagem. Até que um dia ele olha pela janela e vê um Death Note caindo no gramado da escola. Esse foi o “chamado à aventura”. Uma aventura que irá tirá-lo de seu mundo comum, que o libertará. Ou seja, um exemplo prático e direto de como a visão do mundo exterior através da janela fez o personagem imergir numa aventura.

Em suma, se o personagem está olhando para a janela, ele deseja ou até sente que algo lhe aconteça. E vocês? O que acham dessa mania dos personagens?

facebook_gekkou_gear!!

Curta nossa página no Facebook!

twitter_gekkou_gear!!

Siga-nos no Twitter!

Feed_gekkou_gear

Assine o nosso Feed!

Ask_gekkou_gear

Nos acompanhe no Ask!

Por, Luiz Jaeger

23 comentários em “Por que os protagonistas se sentam próximos à janela?

  1. Essa teoria do Herói já devo ter visto por outros nomes, é o básico da criação de qualquer história de aventura. Sobre a mania, penso que seja como você falou, do personagem querer se distanciar de seus problemas internos, ou até só um modo de estar introspectivo, mas deve haver vários casos e tipos.

    De certa forma acho isso clichê, é um jeito do público-alvo se identificar com os personagens (como disse acima, uma “fuga” da normalidade). O que me intriga mesmo é por que os protagonistas têm a necessidade de sentarem-se na fileira do canto, penúltima carteira e ao lado da janela.

    Curtir

    • cara clichê só é clichê porque muitas pessoas gostam daquele jeito de fazer as coisas, e vira um coisa normal, eu prefiro chamar de clássico e não clichê, além disso os personagens costumam sentar ao lado da janela porque tem um cenário mais bonito creio eu, na penúltima carteira porque ao fundo tem um olhar mais panorâmico das outras pessoas, para não dar a entender que só existe o personagem principal na história, além do que tem o cara da ultima carteira, para não ficar uma coisa vazia, e no canto, porque imagina se ficasse no meio, iria ficar um pouco estranho como se tivesse faltando alguma coisa…

      Curtir

      • Cada um interpreta da sua maneira. Eu falo que é clichê porque esse tipo de coisa se enquadra no conceito de clichê, algo que se repete tanto a ponto de se tornar previsível, e não faz nenhuma diferença. Acho mais interessante quando não só nesse caso, mas qualquer gênero que tenha seus tropes fuja do habitual.

        Além do mais isso não pode ser uma fórmula, “Estou fazendo um school life, TEM que ter uma cena do MC olhando para a janela sentado na penúltima cadeira da fileira do canto, se não NÃO É school life”, isso não existe.

        Curtir

      • cara, pensa assim, se não tivesse tanto clichê, você não iria nem ligar quando uma coisa fosse “diferente” porque aquilo iria acabar sendo normal…

        Curtir

      • acho que quando eu tinha uns 5 anos de idade eu cheguei a ver sailor moon, mas eu não assisto muito esse tipo de anime, mas onde vc quer chegar com essa citação?

        Curtir

    • Se você tivesse pego a época que Madoka ainda estava passando na temporada teria entendido o que quis dizer, sobre prever os acontecimentos por serem clichês demais. Hoje em dia qualquer um da animesfera sabe que madoka foge dos clichês de mahou shoujo.

      E na época não foi algo “normal” quando aconteceu, pra ser mais exato foi um escândalo, tanto que até hoje madoka é debatido. Foi um divisor de águas pro gênero mahou shoujo.

      Curtir

      • sim, eu concordo, mas graças a existir clichês pode-se fugir dele, pq imagina se todos fugissem dos clichês, começaria a ser clichê fugir do clichê. Por isso que eu estou falando que clichê é importante, do mesmo jeito que fugir do clichê de vez em quando tb é importante!

        Curtir

    • Qualquer um q lesse e interpretasse entenderia que ele sabe muito bem disso, assim como entenderia o que ele quis dizer quando citou os personagens. Foi apenas um modo de dizer, de se expressar. É lógico que ele entende que são os autores, haha 😉

      Curtir

  2. É simples na verdade.
    O protagonista senta ao lado da janela para o grupo de estudantes que estaria daquele lado possa ser substituído por uma imagem do céu, que é muito mais simples de ser feito. E ele geralmente senta ao fundo para que o número de estudantes que serão enquadrados seja o menor possível.
    Resumindo: tudo para simplificar o trabalho do mangaká. o/

    Curtir

    • É verdade, egonlucas. 🙂 Do ponto de vista do autor, ganha-se bastante tempo com essa simplificação do desenho, embora o preço seja cair nesse clichê.

      Curtir

  3. é como voce disse. olhar para o ceu dá uma imersão ao leitor, de fuga do mundo normal para o mundo de aventura. Quem nunca olhou para janela e ficou viajando?

    Curtir

  4. De fato parece bem simples mas esta em quase todos os lugares embora tenha suas exceções, por exemplo: Em Bleach apenas a Inoue dos cinco personagens principais se senta ao lado da janela, o que é no mínimo curioso já que ela é a que tem mais facilidade e vontade de interagir com os outros alunos.

    Curtir

  5. Bem de fato, a maioria dos animes e mangas tem esse tipo de personagen de gosta de se sentar ao lado da janela, o que muitos acham que ja virou um cliche, sendo que maioria dos personagens que sentam na ao lado da janela, são tipos antissociais ou que tem dificuldade de se relacionar com outras pessoas.

    Curtir

  6. “Há também a possibilidade do personagem ser um tipo antissocial, sem motivação para interagir espontaneamente com as outras pessoas ou desmotivado qualquer coisa que seja, ficando apenas refletindo ou não pensando em nada”, discordo da afirmativa, pois acho que se enquadraria melhor no caso do Shinji. “Talvez ele esteja ponderando as opções sobre algum problema para então executar a solução na hora certa.”, com isso, deduzo que o Shinji está pensando no próximo passo para ferrar com o mundo novamente e.e.
    Infelizmente não pude desfrutar do olhar para fora, já que em minha escola não tinha qualquer janela. Enfim, gostei do texto, bem simplificado e não ficou maçante, e fiquei curioso no que tange à teoria da Jornada do Herói.

    Curtir

  7. Auguem ja paro pra pensar na barreira ant noob que tem nos terraços das escolas,e um lugar alto,fresco,se tem a vista de tudo,e só os protagonista almoçam la.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s